Pensamentos, idéias, histórias... Nathalhices!

Minhas aventuras pela Terra Santa!

segunda-feira, julho 31, 2006

Do outro lado...

Depois de duas semanas morando nos abrigos anti-aereos, oito parentes da minha familia adotiva (que vivem em Carmiel, norte do pais), estao refugiados em Pardesya. A casa passou a ter nada menos do que 13 moradores. Das 8 pessoas, 3 sao criancas. Estava brincando com a menina de quatro anos no jardim e ela me diz `Podemos ficar dento de casa?`. Eu pergunto a ela porque e ela me responde `Aqui tem boomim`(o que seria o plural de `boom`em hebraico).
A familia me contou que as criancas ainda nao estao se sentindo seguras ao ar livre, mesmo ja ha alguns dias dormindo sem o barulho dos misseis. Contam que chegaram muitas doacoes ao abrigo. Empresas de eletrodomesticos, tv a cabo, supermercados e ate telefone celular fizeram de tudo pra confortar quem esta vivendo esse pesadelo de perto. Soldados e voluntarios faziam atividades educativas com as criancas de 8 da manha as 8 da noite. As saidas do abrigo eram esparsas e seguidas de medo. O alarme poderia soar a qualquer momento e a corrida pra voltar era desesperadora.
Ainda assim, nao se pode imaginar o sofrimento das pessoas aqui. Familias que dormem nos abrigos e descobrem depois que tiveram suas casas destruidas, cidades inteiras completamente vazias no norte. Nao se trabalha, nao se estuda. So sofrimento, dor, medo, expectativa e reza.
Apesar de o centro do pais quase nao estar sentindo a guerra no dia a dia, nao ha quem nao tenha duas televisoes ligadas o dia inteiro - cada uma em um canal, onde ambos transmitem exclusivamente as noticias. Aqui m Jerusalem, os onibus estao sempre com o radio ligado no noticiario, e bem alto.
Meus dois irmaos adotivos (33 e 35 anos) foram agora chamados pra servir tambem. Os dois sao casados, tem filhos. Provavelmente vao comandar tropas de meninos de 20 anos, cheios de sonhos, que vao estar no front. A mae deles chora diariamente. Os que nao tem filhos e amigos la pra cima tem a mesma preocupacao, exata. E apesar de todos os pesares, ate mesmo as familias diretamente atingidas querem que a guerra siga ate o fim. Eu tambem. Ate mesmo maes de soldados mortos e feridos. O povo esta cansado de viver com medo...
No mais, so tenho a dizer que da vergonha estar na mesma categoria, jornalista, com um bando de gente que nao sabe o que fala e distorce o que nem ve.
Espero ter tempo de contar mais em breve...

2 Comments:

Anonymous Gi said...

Nathy, que barra... Sei que por mais que eu tente, não consigo imaginar o que é viver essa situação aí. Deve ser muito triste, doloroso, frustrante... sei lá, muita coisa... Só espero que você esteja bem e fique bem com isso tudo acontecendo. Estou aqui se precisar de qualquer coisa! Muitos beijos, fica em Paz, Gi

6:31 AM  
Anonymous Luis Wolf said...

Oi, Nathalia! Depois detalha melhor essa questão dos jornalistas que distorcem as informações, fiquei curioso! Beijo grande!

3:44 PM  

Postar um comentário

<< Home