Pensamentos, idéias, histórias... Nathalhices!

Minhas aventuras pela Terra Santa!

quarta-feira, março 22, 2006

Sobre avioes longos e caminhadas idem

Hoje o aviao mais longo do mundo pousou pela primeira vez em Eretz Israel e eu tava la. Festa pra jornalistas e eu estava la, de garconete. Eu ate achei que fosse me dar uma dorzinha. Afinal, eu tambem sou jornalista! Tenho carteirinha internacional e tudo! Mas nao. Acho que ja estou entendendo melhor isso. Obvio que as cameras e os bloquinhos me saltam os olhos, eh isso que eu amo fazer de verdade. Mas eu tava me divertido. Antes do trabalho, sentada no cafe com os outros israelenses que trabalharam comigo, e a cada segundo, a cada frase, entendendo mais como funciona a cabecinha deles, tentando pegar o que eles tem de melhor: batalhadores, trabalhadores, tem um espirito empreendedor incrivel e estao sempre, mas sempre mesmo, dispostos a ajudar. os que ficavam um minuto parados ja soltavam um `O que que eu posso fazer?`. Incrivel.
Outro dia eu estava na casa da Einat, aqui em Pardesya, jantando com a familia dela. Fiquei pensando muito nisso, meio que comparando a familia brasileira com a que eu estava vendo. Ficava tao muda, perdida nos meus pensamentos, que ate dava pra notar que minha cabeca estava a mil. Eu chego na casa dela depois de uma caminhada. Num instante, mae e as duas filhas comecam automaticamente a colocar mesa, lavar louca, fazer comida. Nao eh favor e nem falta de empregada. Naturalmente. Tudo quase pronto, so faltava o pai chegar. A mae diz que ele foi caminhar ja fazia mais de uma hora. Eu ja penso `Caminhar, sim... Ta caminhando na casa da vizinha`. Mas nao! Ele chega, realmente suado, da um beijo na mulher e comeca a preparar comida tambem! O melhor eh que nao eh a primeira familia israelense que tem esse comportamento. Eu quero ser assim quando crescer!

Eu tambem me impressiono com as amizades aqui. Na verdade eu acho que isso tudo esta ligado a uma cultura de mais respeito ao outro, solidariedade. Serio. Hoje, por exemplo, meu irmao israelense foi com um outro amigo nosso ate Jerusalem pra tentar fazer minha mudanca. Sao duas horas de viagem, ele pediu folga no trabalho, gastou gasolina. E nao coube tudo no carro ainda por cima. Lo nora, como dizem aqui, nao eh terrivel. Chamou uma empresa de mudanca e voltou pra casa, tao feliz quanto tinha saido. E ainda vai me parcelar o pagamento da mudanca.
Nesse meio tempo, eu ja tensa. Pagar, pagar, pagar... E eu no aeroporto, trabalhando no evento. Sabem como eu sou quando estou nervosa: logo fecho a cara e nao quero papo. Num telefonema, me afastei o quanto pude do pessoal que estava na cozinha, e mesmo assim escutaram meus gritos. E ainda assim a Elinor chega perto de mim, me abraca e diz `Tudo bem se nao quiser contar, a gente ta aqui` e me da um beijo. Nao tem nem como continuar emburrada! Incrivel, incrivel! O pai da Adi e do Yaron, consequentemente eu pai (adotivo) tambem, me ligou hoje de manha cedinho `So pra saber se voce esta bem`. E as pessoas fazem isso sem o menor interesse, mesmo. Quando meu irmao mais velho chegou aqui em casa hoje e eu disse `Vou demorar uns meses pra te pagar...` ele me respondeu `Nao tem problema. Voce nao sabe o que que eh amor nao? Fiz com amor`. Eh, nao posso de jeito nenhum dizer que nao sei o que eh amor, gracas a Ds isso nao me faltava no Brasil, seja da minha querida familia, seja dos meus amigos lindos. Mas que meu conceito de amor mudou, isso mudou... Eu acho que estou entendendo que o amor verdadeiro existe sim, so temos que aprender quem o merece...

* Ah! Um pequeno update: O desencantado acabou nao trabalhando hoje. Ate o proximo Nao-sei-o-que maior-do-mundo chegar em Israel e contratarem a gente pro evento! ;)

1 Comments:

Anonymous Paulinha said...

Menina, lá vamos nós nas nossas vidinhas tão diferentes, mas tão parecidas, né? Talvez a gente estivesse buscando a mesma coisa, quem sabe. Sei que encontrei e acho que vc tb. Qto ao seu "dilema" garçonete-jornalista, ou vice versa, eu sou tosadora-publicitária, ou vice e versa. Não me envergonho disso pq estou trabalhando como outro qualquer. Sou formada, tenho cultura, não sou nenhuma burra ou incapaz. Mas ninguém sabe me aproveitar. E eu tô aí batalhando pelo meu, pensando no futuro, assim como vc. Qto à questão da solidariedade, eu tb estou aprendendo mt aqui em Quissa. Vc deve ter lido, aquela coisa de dar sem querer nada em troca. Todo mundo devia ser assim. E a gente tá aprendendo a ser assim, pq assim é mt melhor, né? Sei que a sua experiência, como vc mesma disse, é mt mais dolorosa do que a minha. Mas pode ter certeza de que o que ela te renderá de frutos é proporcional. :) Saudades! Pode deixar que eu tô vindo sempre aqui saber das news.
Bjs

P.s.: Seu príncipe encantado vai surgir no momento em que vc menos espera e vc vai até duvidar se é ele mesmo. Mas vai ser. E no tempo certo.

11:18 PM  

Postar um comentário

<< Home